Ácido Cinza

Games, filmes, séries, cultura pop e redundância.

Grandes Desaparecimentos Não Solucionados dos Videogames #2: Wily, Dr. Wily

Bem que eu queria fazer algo “curto e doce” (eu sei, eu sei, mas “short and sweet” não tem uma tradução boa em Português. Além do que ninguém quer ser grosso com o Poderoso Goro) como AS SETE ESPOSAS DE GORO, não é assim que a banda toca para o sumiço do Dr. Albert Wily. Acho que ele tinha uma letra no meio do nome mas olha foda-se.

O angu começou em 1994 quando em Rockman X2 (sim, na versão Japa) o produtor mais amado destas bandas (sim, o Inafune. Sim, estou sendo sarcástico) encucou que ia trazer o Zero de volta à vida e resolveu enfiar o Wily no bolo fazendo 450 alusões que bem diziam “Sim, este corno está por aí e criou o Zero” na versão original. Na tradução gringa isso sumiu.

No X3 ninguém falou muito disso e no X4 veio o infame filminho inicial que foi a pá de cal derradeira em quem criou a loira vermelhona mais fogosa da série do robô azul com cueca por cima da calça (me disseram que se eu escrever mais frases assim fãs de Yaoi chovem nas referrals, estou cumprindo minha parte da aposta com um amigo).

Com o ligeiro problema: muito mais do que aparentemente ele não queria fazer porra nenhuma com isso. Tipo, claro, Wily criou o Zero, dane-se, mas era ele no X2? “É melhor deixar que os fãs decidam que sim ou não” diz Inafuking, e aí tem o ligeiro problema de ele ser aludido tão fortemente no X5 (o melhor jogo que Inafune não relou e continua levando crédito por ele, no sentido de “é uma conquista admirável dizerem que um jogo que você nem relou é excelente por sua causa“, porque o jogo em si é um saco) que fez uma sequência ser praticamente inevitável (para o nozinho de Inafune).

Então você tem aí dois robôs cientistas com um mote similar de velhotes obcecados com o Zero e tudo leva a crer que o velho que voltou de alguma maneira quer acertar as contas de vez. O que saiu disso?

Absolutamente nada.

Depois do X6 todo fio de roteiro ligado ao Wily foi absolutamente esquecido e enterrado e acharam que era mais negócio investir no Cicatriz (ACDICA: nunca será). Na série Zero o povo da Inticreates achou que era mais negócio deixar a história mais convulsa ainda com guerras retconnadas e trocas de corpo e Zzzzzzz(X).

Mega Man nunca foi sinônimo de uma “grande história” pra ‘grande mídia (corporativista burguesa FILMAE NOIS AE HEUHAUEHAEW)’ dos videojuegos, mas na série X ainda no SNes ao menos estava tentando se adaptar aos tempos, e dava pra levar numa boa. Depois dos 3 anos sem jogo nenhum na série X no PSX e com essa sucessão de besteiróis onde acham que é mais importante ficar regurgitando como funciona ciência que não existe (e não funciona) do que resolver conflitos dos personagens, aí que não é de surpreender que toda vez que saísse uma resenha de um site “graúdinho” fosse na melhor das hipóteses “tá, a jogabilidade é legal e a história é uma nulidade”.

Fazem 10 anos agora desde a última alusão concreta ao Wily na série X (X6 saiu em Dezembro de 2001 amigos). Não há qualquer sinal de que isso iria ser resolvido.

E quer saber? Dane-se. Depois de ele virar o típico “vilão da semana”  em Mega Man 9 e 10 não sei o que me deixa mais aterrado: a bipolaridade do cara em ser o cientista todo bananão que quer dominar o mundo e aí passa dessa pra melhor e começa a gozar litrus quando vê seu filhinho espalhando sangue robótico pelas paredes ou dos produtores que acham que ele se tornar isso não tem o menor problema.

Esclareço que isso não é um “tudo está lindo e maravilhoso, não devem mexer” (que deixo nas mãos dos hábeis GRADUANDOS EM MEGA MAN que sabem exatamente como tudo funciona – até a ciência que não existe – e sempre assegurarão de que tudo está ótimo e não tem como melhorar) e sim “a história já foi tão fodida que resolver isso já não faz a menor diferença”.

Ah, sim, se aquele MMO coreano Mega Man Online chegar a sair, Wily deve aparecer lá, mas se você for jogar aquela coisa pela história, bem, você está fazendo isso errado (termina como começou: com uma tradução literal de uma expressão gringa. SYMMETRIKO!).

Obrigado por me deixarem comentar.

3 Respostas para “Grandes Desaparecimentos Não Solucionados dos Videogames #2: Wily, Dr. Wily

  1. Hyper Emerson dezembro 20, 2011 às 3:53 am

    Numa das versões do Tatsunoko Vs. Capcom foi feita mais uma referência misteriooooosa ao Wily no final do Zero, sabe-se lá pra que: http://www.youtube.com/watch?v=X2Jv9Zv5RXk

  2. SAULO AUGUSTO DUARTE janeiro 20, 2012 às 2:27 pm

    É verdade, o que aconteceu com Mega Man, Bass, Protoman e Roll é um assunto que a Capcom jamais quis divulgar. E o que aconteceu com o Axl após o fim dos eventos de Mega Man X8? Isso nem a Capcom quis divulgar.

  3. Pingback: (Review – PC – Demo) Mega Man 25th Anniversary « The Twosday Code

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: